A Proibição de uma Mulher Muçulmana casar-se com um Homem não-Muçulmano

É ilícito para uma mulher Muçulmana casar-se com um homem não-Muçulmano, independente dele ser ou não do Povo do Livro. Nós já citamos o versículo de Deus, o Altíssimo:

" Não desposareis as idólatras até que elas se tenham convertido." {2ª: 221}

E Ele disse a respeito das mulheres Muçulmanas imigrantes:

" Porém, se as julgardes crentes, não as restituais aos incrédulos, porquanto elas não lhes cabem por direito, nem eles a elas." {60ª: 10}

Não existe nenhum texto que conceda exceção ao Povo do Livro, portanto, com base nos versículos acima, há um consenso entre Muçulmanos quanto a esta proibição.

Assim, enquanto que se permite que um homem Muçulmano case com uma mulher cristã ou judia, não se permite que uma mulher Muçulmana se case com um homem cristão ou judeu. Há muitas razões firmes para esta diferença. Primeiro, o homem é o cabeça do casal, aquele que mantém a família, e é responsável por sua esposa. E enquanto que o Islam garante a liberdade de crença e prática à esposa cristã ou judia de um Muçulmano, salvaguardando os direitos dela para com a sua fé, outras religiões, tais como o judaísmo e o cristianismo, não garantem à esposa de uma fé diferente a liberdade de crença e prática, nem lhe resguardam seus direitos. Sendo este o caso, como pode o Islam arriscar o futuro das suas filhas, empregando-as nas mãos de gente que nem respeita a religião dela nem se preocupam em proteger os direitos dela?

O casamento entre um homem e uma mulher de crença diferente pode se basear somente no respeito pelo marido à crença da sua esposa; em caso contrário, não se poderá desenvolver um bom relacionamento. Já o Muçulmano acredita que tanto o judaísmo como cristianismo originaram-se da revelação divina, apesar de lhes serem introduzidas distorções posteriores. Ele também acredita que Deus revelou a Torá a Moisés e o Evangelho a Jesus e que tanto Moisés com Jesus foram dentre os mensageiros de Deus que se distinguiram por sua imperturbável determinação.( * )  Dessa forma, a esposa cristã ou judia de um Muçulmano vive sob a proteção de um homem que respeita os princípios básicos de sua fé, sua escritura, e seus profetas, enquanto que, inversamente a isto, o judeu e o cristão não reconhecem nem a origem divina do Islam, do seu Livro, ou o seu Profeta. Como poderia então uma mulher Muçulmana conviver com um tal homem, quando a religião dela lhe exige a obediência de certos proibição? Seria impossível para uma mulher Muçulmana conservar o respeito pelas suas crenças bem como praticar a sua religião corretamente se ela fosse contrariada nesse sentido pelo senhor da casa a cada passo.

Compreender-se daí que o Islam é coerente com ele mesmo ao proibir ao homem Muçulmano de casar com uma mulher idólatra, pois sendo o Islam absolutamente contra o politeísmo, seria evidentemente impossível a duas tais pessoas conviverem juntas com harmonia e amor.


(*)Torá é a escritura original revelada ao Profeta Moisés por Deus, o Evangelho ao Profeta Jesus. Não se deve confundir estas com a Torá ou Velho Testamento ou os Quatro Evangelhos do Novo Testamento hoje existente. 

Dr. Yussef Al-Karadhawi

  • quarta, 19 março 2008

Deixe um comentário

Está a comentar como convidado. Login opcional abaixo.