Por Que o Profeta Muhammad Não Morreu Pelos Pecados dos Muçulmanos?

 Pergunta: Prezados eruditos, As-Salamu `alaykum. Por que Muhammad não morreu pelos seus pecados? Jazakum Allah khayran.

Nome do Mufti: Sheikh Ahmad Kutty 

Resposta:

Wa `alaykum As-Salamu wa Rahmatullahi wa Barakatuh.

Em nome de Allah, o Clemente, O Misericordioso!

Todos os louvores e agradecimentos são para Allah, e que a paz e as bênçãos estejam com Seu Mensageiro.

Prezado questionador, nós gostaríamos de agradecê-lo pela grande confiança que você deposita em nós, e esperamos que nossos esforços, que são puramente pela graça de Allah, estejam à altura de suas expectativas.

Antes de tudo, deve-se deixar claro que o conceito inteiro de alguém morrer pelos nossos pecados está em total contradição com a visão islâmica da natureza do homem e de Deus. No Islam, cada indivíduo é responsável pela sua própria salvação. Todos, homens e mulheres, podem se aproximar de Deus diretamente sem nenhum intermédio de um profeta, santo ou padre.

Respondendo à pergunta que você levantou, o Sheikh Ahmad Kutty, um conferencista senior e erudito islâmico no Islamic Institute of Toronto, Ontario, Canadá, declara:

“Parece-me que você está vindo de um background cristão. Para que seja possível você entender a posição islâmica, é importante tornar claro alguns pontos.

Primeiro, o Islam, ao contrário do Cristianismo, não ensina um conceito de “pecado original”. O pecado de Adão foi somente dele; e, de acordo com o Alcorão (para a narração Corânica da história de Adão e Eva, veja: o Alcorão: 2: 30-39; 7; 19; 17: 61; 18: 50; 20: 116-17, etc.), Deus perdoou a ambos Adão e Eva quando eles se voltaram a Deus arrependidos; consequentemente eles foram restabelecidos à misericórdia divina. Por isso não existe o conceito de Adão passar adiante para sua descendência um pecado original, e portanto não há necessidade de se estipular um redentor para tais pecados.

Segundo, como não há pecado original, todas as pessoas nascem em um estado de fitrah, um estado natural de inocência; o pecado é adquirido mais tarde pelas nossas próprias ações conscientes e deliberadas. O Profeta (que a paz e as bênçãos estejam com ele) disse, ”Toda criança nasce em um estado de fitrah ou estado natural de inocência.”

Terceiro, o Islam ensina que Deus é Todo-Compassivo e Todo-Misericordioso; Ele não é compelido pela regra de um sacrifício de sangue para perdoar Seus servos. Supor que Deus só pode perdoar aceitando um sacrifício de sangue e portanto declarar que Jesus ou Muhammad morreram por nossos pecados não é aceitável no Islam. Allah diz: ”Dize: Ó servos meus, que se excederam contra si próprios, não desespereis da misericórdia de Allah; certamente, Ele perdoa todos os pecados, porque Ele é o Indulgente, o Misericordioso. E voltai, contritos, ao vosso Senhor, e submetei-vos a Ele, antes que vos atinja o castigo, porque, então, não sereis socorridos.” (Az-Zumar: 53-54)

Quarto, o Islam ensina que todo indivíduo é responsável por sua própria salvação. Nem Abraão, ou Moisés, ou Jesus, ou Muhammad pode nos salvar; eles são capazes de salvar apenas a eles mesmos através da graça de Deus. Nas palavras do Alcorão: ”Quem cometer um pecado, fá-lo-á em prejuízo próprio. Certamente, Allah é Sapiente, Prudentíssimo.” (An-Nisa': 111); ”Allah não impõe a nenhuma alma uma carga superior às suas forças. Beneficiar-se-á com o bem quem o tiver feito e sofrerá o mal quem o tiver cometido.” (Al-Baqarah: 286); ”Nenhuma alma receberá outra recompensa que não for a merecida, e nenhum pecador arcará com culpas alheias.” .” (Al-An`am: 164); ”Quem se encaminha, o faz em seu benefício; quem se desvia, o faz em seu prejuízo, e nenhum pecador arcará com a culpa alheia.” (Al-Isra': 15)

Quinto, todas as pessoas, homem ou mulher, podem se aproximar diretamente de Deus sem nenhum intermediário de um profeta, santo ou padre. Deus está mais próximo de nós do que nossa veia jugular. Deus Todo-Poderoso diz no Alcorão: ”Criamos o homem e sabemos o que a sua alma lhe confidencia, porque estamos mais perto dele do que a (sua) artéria jugular.” (Qaf: 16) ”Quando Meus servos te perguntarem de Mim, dize-lhes que estou próximo e ouvirei o rogo do suplicante quando a Mim se dirigir. Que atendam o Meu apelo e que creiam em Mim, a fim de que se encaminhem.” (Al-Baqarah: 186)

Então o conceito inteiro de alguém morrer por nossos pecados é contrário à visão geral islâmica ou entendimento das naturezas do homem e de Deus. O Islam nos chama a todos para respondermos à mensagem de Deus e recebermos Sua graça e salvação através da fé, boas ações e de levar uma vida moral e ética responsável.”


Allah Todo-Poderoso sabe mais.

Data da Fatwa: 16/ Outubro/ 2003
Tópico da Fatwa: Religiões Comparadas

 

Tradução: Irmã Noora

  • quarta, 19 março 2008

Deixe um comentário

Está a comentar como convidado. Login opcional abaixo.